Siga via Email

29 de jun de 2011

Estes, sim, são líderes

Para os que acham que Fernando Ribas Carli ainda tem algo que preste a dizer e que, portanto, o consideram um líder em Guarapuava, deixo a sugestão para que, quando possível, ouçam as falas do tenente-coronel William Rueda (26. GAC) e do padre Ari Marcos Bona (Paróquia Santana). Estes, sim, são da espécie de líderes que Guarapuava precisa, sem que precisem apelar para cores partidárias para fazer o bem comum. O recente discurso de Rueda sobre um tradição militar de brindar com água pura foi de uma singeleza impressionante e de uma dimensão histórica de altíssimo nível. E os comentários semanais de Ari Marcos são increvelmente antenados com a realidade local. E isso sem contar os projetos comunitários que ambos lideram ou co-participam com destaque.

Pede, Carli, pede mesmo para sair

Quando você imagina que o prefeito de Ponta Grossa, Fernando Ribas Carli, já deu todas as demonstrações possíveis e públicas de incompetência, eis que o sujeito consegue protagonizar mais um episódio lamentável: possivelmente enjoado de ficar ouvindo as músicas do cantor Amado Batista, o prefeito parece estar trocando as horas em frente à lareira à noite pela contemplação das imagens que as quatro câmeras instaladas recentemente junto ao cavalo dos 200 anos devem lhe proporcionar.
Sim, leitor, quatro câmeras para monitorar o cavalo e seu cavaleiro anão. Enquanto isso, na Lagoa das Lágrimas e em outros pontos da cidade, nada da Prefeitura contribuir para a tranquilidade dos locais, especialmente nos finais de semana. Quem passa pela avenida onde está instalado o histriônico monumento, acaba por se deparar com um espaço bem iluminado e com as tais quatro câmeras. Claro que não vai demorar muito e irá aparecer um assecla do prefeito Carli para dizer que os equipamentos foram instalados para contribuir na segurança do trânsito local, por exemplo – esquecendo-se que, na época em que o bicho estava sendo erguido, tapumes colocados pelo Município faziam exatamente o contrário.
Mas há quem diga que, na real, Carli mandou disponibilizar as quatro câmeras para que ele consiga ficar sempre de olho de maneira a evitar que alguém queira tomar seu lugar como cavaleiro, já que se imagina que o sonho dileto do prefeito de Ponta Grossa seja, quando encerrar seu melancólico mandato (em dezembro de 2012), tirar Diogo de Azevedo Portugal de lá e ali fazer montaria. Ao que tudo indica, não satisfeito mais em ser o papagaio de pirata em muitas situações, Carli quer agora ser o próprio pirata, deixando o papel de louro para um integrante de sua família que tem feito as vezes de dublê de deputado estadual.
Obviamente, posso estar errado mas instalar tais câmeras é zombar dos eleitores de Carli que, anos atrás, votaram no sujeito na expectativa de que fizesse ao menos uma gestão decente. E ainda há quem diga que Carli é um homem de visão, como descrito no site da Prefeitura, por ter supostamente liderado a suposta comemoração dos supostos 200 anos de Guarapuava, em uma sequência de eventos que parecia haver sido encerrada no dia 20 passado mas que as câmeras insistem em nos dizer o contrário.
O prefeito de Ponta Grossa, Fernando Ribas Carli, bem que poderia ao menos agora, quando está marchando rapidamente para seu ocaso político, limpar sua escrivaninha na Prefeitura e admitir que é um fracasso como chefe do Executivo. Apegado ao cargo que é, possivelmente não o fará. Ao menos, deveria por uma noite desligar as câmeras, pegar seu carro com ar condicionado e passar para conversar um pouco com as famílias que estão instaladas precariamente no Alto da XV. Tal qual já escrevi outras vezes, gestos assim não fariam de Carli um político melhor mas, quem sabe, fizessem bem a ele em nível pessoal.
Com atos assim, quem sabe até Carli volte a ser o prefeito de Guarapuava – e não de Ponta Grossa, como grotescamente parece ser depois que mandou dar aquela explicação fajuta semanas atrás de que foi renovar sua carteira de motorista (suspensa pelo excesso de multas de trânsito) em Ponta Grossa por ter o hábito de passar os finais de semana em uma propriedade que tem lá por perto.
Em vez de tentar tapar o Sol com a peneira (e admitir que teve vergonha de frequentar um curso de reciclagem de trânsito em Guarapuava), Carli deveria era ter evitado também a explicação farsesca de que os pontos em sua CNH derivavam de pessoas que costumavam dirigir seu veículo, cometendo infrações a rodo pois, conforme noticiado pela Mídia, o prefeito tinha algo como 130 pontos na carteira. Se eventualmente isso ocorreu reiteradamente, Carli deveria ser o primeiro a repreender tais pessoas e não permitir reincidência. Mas não – preferiu se portar como um sujeito altivo que tenta, em vão, se equilibrar na corda bamba.
Certa vez, escrevi que Fernando Ribas Carli poderia ser da equipe do circo de Buffalo Bill, um artista americano do século 19 que percorria seu país com seu elenco de bizarrices. Pensando bem, acho que fui desrespeitoso com Buffalo Bill – seu circo tinha artistas de talento. Para Carli, cada vez mais resta apenas olhar para as câmeras e torcer pela queda de Diogo Portugal, para tomar-lhe o lugar junto ao cavalo. Para atingir seu intento (e desmascarar aqueles que o consideram um ignorante), Carli desfia até Shakespeare: um cavalo, um cavalo, meu reino por um cavalo.

15 de jun de 2011

Ser papagaio só não basta mais

Não contente em ser mais apenas papagaio de pirata em muitos assuntos que dizem respeito ao futuro de Guarapuava, o prefeito Fernando Ribas Carli agora parece querer ser o próprio pirata. Papagaio substituto, ao menos, ele já arranjou. Entre hoje e amanhã, escreverei um novo texto sobre isso.

13 de jun de 2011

O Vettel de Guarapuava

Manhã de segunda, 13.06, centro de Guarapuava: se dependesse do motorista do ônibus urbano placa ANF 7902 (da Pérola do Oeste, creio), os pedestres da rua XV e cercanias estariam até agora, 23h10 do mesmo dia, esperando para cruzar nas faixas de segurança. Ou estariam atropelados. Em menos de 5 minutos, foi impressionante a habilidade do sujeito em parar justamente em cima das faixas de segurança, em sequência.

Circulando 5.0

A Circulando já ultrapassou a marca de 5 mil acessos. Até o instante em que escrevo estas linhas, 5.126 acessos.

9 de jun de 2011

Carli, cidadão de Boa Vista

Boa Vista, capital de Roraima, tem mais buracos do que Guarapuava, maiores inclusive. Deve ter sido de lá que o prefeito Carli tirou inspiração para sua política de asfaltamento e recapeamento da cidade. Até findar seu mandato, Carli sonha em ser condecorado com o título de Cidadão Honorário de Boa Vista.

8 de jun de 2011

Carli no programa Acredite se Quiser

Responde rápido, leitor: o que é mais ridículo, o prefeito Fernando Carli frequentar curso de reciclagem de motorista em Ponta Grossa ou a explicação fajuta de que o fez lá por ter uma casa de campo que fica mais próxima daquela cidade do que de Guarapuava? Ou a justificativa ainda mais surreal de que sua habilitação estava suspensa pela razão de que seu carro, toda vez que multado, era dirigido por outras pessoas?
Quando você imagina que ele já protagonizou todos os fatos ridículos possíveis, o sujeito consegue se sobressair. É pena que a série televisiva Ripley's Believe It or Not já tenha acabado: Carli seria um personagem sensacional para um punhado de episódios. O Ripley's..., para quem não lembra, era uma série americana que apresentava fatos inusitados mundo afora. No Brasil, chamava-se Acredite se Quiser. Pena que tenha acabado...
Sinceramente, que papelão do prefeito, o mesmo que, dias atrás, assumiu publicamente a inoperância de sua política industrial para Guarapuava. Ou melhor, a ausência de uma estratégia, como recentemente fez em relação à Cultura e ao Turismo. A cada aparição, a cada fala, a cada fato histriônico (como esta da carteira de motorista), Carli indica claramente o quão patético é seu final de carreira.
Mas a questão maior não é esta: cada dia de Carli na Prefeitura é um dia perdido para as chances de desenvolvimento integrado de Guarapuava. Fernando Carli é um político menor e que, após deixar o cargo, deverá ser lembrado pelas trapalhadas ou, no máximo, toda vez que alguém passar pelo monumento do cavalo e notar que, no lugar do militar que ali está, há uma estátua do próprio Carli montando o animal grotescamente vitaminado – não duvide, leitor, que esta troca possa acontecer antes de dezembro de 2012.
Enquanto Maringá, Londrina, Toledo, Cascavel, Pato Branco e Foz do Iguaçu se estruturam cada vez mais e melhor em diversos segmentos, Guarapuava ficará mais alguns meses sob a batuta torta de um político adepto do muxoxo. Se a região inteira se une em favor da causa de uma fábrica de cerveja (Schincariol?) para o Centro do Paraná, Carli acredita que pode conseguir isso sozinho. O mesmo vale para a nova unidade da Cargill.
É, acredite se quiser. Carli, o soberbo, parece ser fã de Raul Seixas: como não tem colírio, só lhe resta os óculos escuros.

2 de jun de 2011

Três meses no ar

Vale registrar: em três meses no ar neste blog, a Circulando já atingiu 4,2 mil acessos.

Sobre o deizão da cachaça

Sobre o texto 'O deizão da cachaça', publicado aqui em 11/04/11, leitor(a) de Circulando mandou mensagem dizendo que muitas atendentes de lotéricas de Guarapuava insistem tanto na venda do tal bolão para os clientes devido ao fato de terem uma cota de comercialização. Se não atingem, sobre para elas arcar com a diferença, garante. Diz ele(a): 'pesquisem e verão'.

De Roraima para Guarapuava, dois exemplos

Roraima me chamou atenção por duas razões esta semana: em Boa Vista, a capital, o respeito dos motoristas para com o pedestre é muito grande, nas faixas de segurança. Já em Paracaima, município 200 a km de Boa Vista, moradores se uniram e colocaram pés de banana nos buracos das ruas, em protesto pelo descaso do prefeito local, que promete, promete, promete e diz que a culpa é sempre da chuva. Na região de Paracaima, banana há de sobra. Se fosse em Guarapuava, faltaria o produto para tanto buraco. Exceto na rua que passa em frente à casa do prefeito, lisinha, lisinha...