Siga via Email

24 de mai de 2011

E este futuro que não chega


Meses atrás, o Mintendi resolveu me dar um conselho: eu devia me recolher à minha insignificância, parando de escrever a Circulando. No final de abril deste ano, optei por fazer o que o Mintendi sugerira: suspendi temporariamente a Circulando, na esperança de que, finalmente, a gestão de Fernando Carli à frente do Município deslancharia, já que o Mintendi insinuara que, mesmo minimamente, a Circulando estava atrapalhando a administração da cidade.
Vejamos parte do saldo deste um mês de auto-recolhimento:

    • O procurador jurídico municipal, Luciano Batista, desembarcou do trem carlista. Mandou dizer que ficaria até 30 de abril mas se arrastou no cargo por mais duas semanas;
    • Nestas duas semanas, Batista deu uma declaração pública de que, até o meio-dia da véspera do concurso municipal, teria uma resposta para dar à sociedade se as provas aconteceriam ou não no dia seguinte. Este meio-dia até hoje não chegou;
    • Sobre o concurso, aliás, o fiasco foi geral. Mergulhado em sua soberba, até hoje o prefeito de Guarapuava não esteve na mídia ao menos pedir desculpas aos inscritos pela segunda tentativa frustrada de realizar o processo. Carli devia sair da toca e ir a público assumir que liderou mais um vexame em nível nacional;
    • Os buracos nas vias da cidade só aumentaram, exceto na rua que cruza em frente à casa de Fernando Carli;
    • O vice-prefeito, Jorge Massaro, até apareceu ao lado de Carli em uma cerimônia pública. Até onde se sabe, não abriu a boca. E seu link na página da Prefeitura continua zerado. Zerado. Basta conferir o http://www.guarapuava.pr.gov.br/prefeitura/. Dizem que Massaro é um sujeito correto mas chega dar dó o papel a que tem se prestado;
    • Por vários dias, os Carli fizeram do site da Prefeitura uma plataforma para auto-promoção. Bernardo Carli apareceu na homepage até em foto de pescaria. Vide http://www.guarapuava.pr.gov.br/noticia.php?idNoticia=7833;
    • A Prefeitura apresentou um projeto de teatro municipal, nitidamente feito às pressas. Se não foi correndo, pior ainda, pois Carli disse querer erguer o teatro em uma área que está em disputa judicial, conforme admitido pela própria Prefeitura em http://www.guarapuava.pr.gov.br/noticia.php?idNoticia=7822;
    • Em 7 de maio, o secretário de Cultura do PR esteve na cidade. O prefeito não foi, e, segundo noticiado na Imprensa local, as representantes do município só deram o ar da graça no debate por alguns minutos, em uma excelente indicação de como estão as questões culturais na cidade.

Tem mais, claro, mas os exemplos acima podem ser excelentes indicadores de para onde e com quem a cidade está indo. O pior é que, não sendo suficiente a figura nefasta de Fernando Carli, Guarapuava ainda tem de aguentar (felizmente por pouco tempo) Bernardo Carli na Assembleia. Em seu primeiro discurso lá, ainda em abril, o sujeito se disse ser alguém bastante empenhado na sustentabilidade da economia e, pasmem, do planeta. Logo ele que, dia desses, estava soltando rojões em uma festa de Ano Novo no lago local, conforme amplamente noticiado na Mídia.
Enquanto cidades como Toledo (PR), Maringá (PR), Uruguaiana (RS), São Bento do Sul (SC), Nova Petrópolis (RS) e Chapecó (SC) se reinventam cotidianamente, por força da mobilização constante da sociedade civil e pela presença de lideranças políticas competentes, Guarapuava continua pronta para o futuro só no papel e no slogan fantasioso da atual administração municipal.
Mintendi? Ou quer que eu desenhe?

21 de mai de 2011

Aviso da Circulando

A Circulando está provisoriamente recolhida à sua insignificância, embora bastante atenta aos acontecimentos da cidade. Sobre eles (ou a ausência deles), aliás, a Circulando volta a tratar na próxima terça, 24.